Tributação Simples Nacional: anexo, faixa e mais informações

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

A tributação simples nacional pode ser uma alternativa interessante para reduzir custos tributários, e com isso, realocar recursos às outras áreas. Desta forma, o empreendedor consegue ir conquistando maiores oportunidades de negócios.

Atualmente, mais de 11 milhões de empresas adotaram o modelo simples nacional, segundo o Data Sebrae. Esse dado, reforça ainda mais, que muitos gestores viram nesse regime tributário uma alternativa para economizar com impostos.

Portanto, se você gerencia uma micro empresa, empresa de pequeno porte ou até mesmo é um microempreendedor individual, confira todas as informações sobre a tributação simples nacional, que nós da Facilite preparamos para você!

Inscreva-se no canal para mais conteúdos sobre Contabilidade e Empreendedorismo!

Quais os anexos da tributação simples nacional

Ao todo há cinco anexos diferentes da tributação simples nacional, Anexo I – Comércio, Anexo II – Indústria, Anexo III, IV e V – Serviços, e entendê-las significa dominar as principais características deste regime tributário.

Em especial, o anexo III, IV e V costuma causar dúvidas por ser direcionados à área de serviços. No entanto, é especificado que:

  • Anexo III – Serviços: serviços de instalação, de reparos e de manutenção, agências de viagens, escritórios de contabilidade, academias, laboratórios, empresas de medicina e odontologia;
  • Anexo IV – Serviços: empresa de limpeza, de vigilância, de obras, construção de imóveis e escritórios de advocacia;
  • Anexo V – Serviços: serviços de auditoria, redação jornalística, de tecnologia, agência de publicidade e escritório de engenharia.

Esta divisão, tem como propósito facilitar a escolha por parte da empresa em qual anexo precisa seguir. Desta forma, eventuais dúvidas são sanadas com mais agilidade.

Caso você seja um empreendedor da área da indústria, por exemplo, basta seguir a tributação do anexo II. O mesmo vale para as outras áreas da economia.

Tributação dos anexos

Como existem diferentes anexos, o valor a deduzir de cada uma delas é variável, sempre sofrendo modificações com a alíquota anual. Como o simples nacional tem como característica principal a unificação dos impostos, a dedução compila a alguns impostos como:

  • CSLL;
  • Cofins;
  • PIS/PASEP;
  • CPP;
  • ICMS.

Ainda seguindo o exemplo do Anexo II – Indústria, a tributação varia de acordo com as faixas de tributação simples nacional. Isto é, ela pode se alternar entre 4,5% a 30%, sempre em relação à alíquota anual.


 

Faixas de tributação simples nacional

Como dito anteriormente, cada anexo apresenta uma faixa específica de tributação de acordo com a alíquota dos últimos 12 meses. Sendo assim, é preciso consultar os valores atualizados e por isso segue abaixo todas as faixas de tributação simples nacional:

Anexo I – Comércio

Faixa Receita bruta em 12 meses (em R$) Alíquota Valor a deduzir (em R$)
1ª Faixa Até 180.000,00 4,00%
2ª Faixa De 180.000,01 a 360.000,00 7,30% 5.940,00
3ª Faixa De 360.000,01 a 720.000,00 9,50% 13.860,00
4ª Faixa De 720.000,01 a 1.800.000,00 10,70% 22.500,00
5ª Faixa De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 14,30% 87.300,00
6ª Faixa De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 19,00% 378.000,00

 

Anexo II – Indústria

Faixa Receita bruta em 12 meses (em R$) Alíquota Valor a deduzir (em R$)
1ª Faixa Até 180.000,00 4,50%
2ª Faixa De 180.000,01 a 360.000,00 7,80% 5.940,00
3ª Faixa De 360.000,01 a 720.000,00 10,00% 13.860,00
4ª Faixa De 720.000,01 a 1.800.000,00 11,20% 22.500,00
5ª Faixa De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 14,70% 85.000,00
6ª Faixa De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 30,00% 720.000,00

 

Anexo III – Serviços

Faixa Receita bruta em 12 meses (em R$) Alíquota Valor a deduzir (em R$)
1ª Faixa Até 180.000,00 6,00%
2ª Faixa De 180.000,01 a 360.000,00 11,20% 9.360,00
3ª Faixa De 360.000,01 a 720.000,00 13,50% 17.640,00
4ª Faixa De 720.000,01 a 1.800.000,00 16,00% 35.640,00
5ª Faixa De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 21,00% 125.640,00
6ª Faixa De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 33,00% 648.000,00

 

Anexo IV – Serviços

Faixa Receita bruta em 12 meses (em R$) Alíquota Valor a deduzir (em R$)
1ª Faixa Até 180.000,00 4,50%
2ª Faixa De 180.000,01 a 360.000,00 9,00% 8.100,00
3ª Faixa De 360.000,01 a 720.000,00 10,20% 12.420,00
4ª Faixa De 720.000,01 a 1.800.000,00 14,00% 39.780,00
5ª Faixa De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 22,00% 183.780,00
6ª Faixa De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 33,00% 828.000,00

 

Anexo V – Serviços

Faixa Receita bruta em 12 meses (em R$) Alíquota Valor a deduzir (em R$)
1ª Faixa Até 180.000,00 15,50%
2ª Faixa De 180.000,01 a 360.000,00 18,00% 4.500,00
3ª Faixa De 360.000,01 a 720.000,00 19,50% 9.900,00
4ª Faixa De 720.000,01 a 1.800.000,00 20,50% 17.100,00
5ª Faixa De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 23,00% 62.100,00
6ª Faixa De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 30,50% 540.000,00

 

Como reduzir a tributação simples nacional

Até aqui, você empreendedor ou gestor, pode perceber que a tributação simples nacional pode impactar nos custos operacionais do seu negócio. Porém, há um componente que pode reduzir o valor a deduzir, e ele se chama fator R.

Se trata de um cálculo que define o enquadramento no anexo III  ou V, ou seja, é uma divisão entre o faturamento e a folha de pagamento nos 12 meses. Caso o resultado seja maior ou igual a 28%, o valor a deduzir segue a regra do anexo III, se for menor que 28% obedece o regimento do anexo V.

Inscreva-se no canal para mais conteúdos sobre Contabilidade e Empreendedorismo!

Nós da Facilite já preparamos um conteúdo riquíssimo com todas as principais informações do fator R e você pode descobrir como é possível a redução tributária clicando aqui!

Quer abrir uma empresa ou Trocar de contador? Deixe seu contato, te mostraremos o melhor em tecnologia contábil.

    tipos de notas fiscais

    Tipos de notas fiscais do Brasil

    Toda empresa,que preste serviços ou realize venda de mercadorias, deve emitir nota fiscal desses serviços ou produtos vendidos. E para emitir essa comprovação, existem vários