Contabilidade nas empresas: entenda a sua importância

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

A imagem da contabilidade como algo que remete apenas a rotinas burocráticas ficou para trás faz tempo. 

Se é verdade que cuidar das obrigações fiscais e tributárias continua sendo parte importante do trabalho do contador — e precisa ser assim —, também é fato que a contabilidade nas empresas cumpre outros papéis mais estratégicos para o negócio.

Neste artigo, vamos mostrar como isso pode acontecer e como usar as informações fornecidas pela contabilidade para ter subsídios para a tomada de decisões na empresa. Continue a leitura!

Afinal, o que faz a contabilidade?

De forma resumida, a contabilidade traduz em números, ou seja, mede tudo o que se passa na organização. Além disso, ela os consolida e os comunica ao empresário. É uma fonte confiável de dados, pois, além de captá-los, atesta a veracidade das informações.

Na prática, o contador é responsável por organizar a documentação necessária para o funcionamento do negócio, administrar as contas da empresa e registrar todo esse histórico. Veja que, além da rotina com os trâmites burocráticos, a análise do histórico é extremamente útil para conhecer melhor a rotina da empresa e promover ajustes e melhorias para o futuro.

Podemos dizer, portanto, que a contabilidade tem como objetivo fornecer informações confiáveis sobre a movimentação financeira e sobre o patrimônio da empresa. Esses dados são importantes para os próprios gestores, que vão usá-los para tomar decisões em relação aos rumos da organização e para prestar contas ao Fisco e a outros órgãos do governo que possam requerê-los. 

Além disso, servem para comprovar a saúde financeira da companhia para bancos, quando se solicita um empréstimo ou um financiamento, ou para potenciais investidores interessados em injetar recursos no negócio.

Quais são os relatórios contábeis obrigatórios?

Como mencionamos, a contabilidade oferece uma série de informações importantes para os gestores da empresa. Não se pode, porém, negligenciar o fato de que existem diversas exigências legais que devem ser cumpridas para evitar penalidades e prejuízos que, no limite, podem colocar em risco a própria continuidade da operação.

Fazem parte desse cenário a elaboração dos relatórios contábeis que são obrigatórios por lei. Eles servem para mostrar o desempenho financeiro e econômico da empresa, dando transparência nas informações entre empresa, acionista e sócio. 

Segundo a Lei nº 6.4040/76, a apresentação das demonstrações contábeis é obrigatória para empresas que possuem acionistas. Veja a seguir as principais: 

  • Balanço Patrimonial: apresenta o avanço do patrimônio da empresa, detalhando todos os ativos (bens que geram lucro) e passivos (obrigações financeiras);

 

  • Demonstração do Resultado do Exercício (DRE): mostra se a empresa está tendo lucro ou prejuízo. É composto por receitas, despesas e deduções tributárias. É um dos relatórios mais importantes para os gestores, uma vez que traz informações como receita líquida, margem bruta, margem de contribuição, EBITDA, resultado operacional e resultado líquido;

 

  • Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA): dá mais transparência à quantidade de impostos pagos com base no lucro da empresa. Os dados dessa demonstração são retirados de outros relatórios, como o balanço e a DRE;
  • Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC): essa demonstração não é apenas obrigatória, mas é pré-requisito para o controle financeiro de qualquer empresa. Ela registra toda entrada e saída monetária do negócio. Diferentemente das demais demonstrações que citamos até aqui, utiliza o regime de caixa, não de competência. Com ela você consegue saber de onde vieram todas as entradas e para onde foram todas as saídas;
  • Demonstração de Valor Adicionado (VLA): apresenta os valores monetários que a empresa conquistou e mostra como eles foram distribuídos. Assim, esclarece como a riqueza da empresa aumentou ou diminuiu ao longo do tempo.

 

Por fim, é importante dizer que a obrigatoriedade das demonstrações contábeis varia, dependendo da classificação tributária na qual a empresa se enquadra. Para as microempresas (ME) e pequenas empresas (EPP), são obrigatórios o Balanço Patrimonial, a DRE e as notas explicativas.

Como a contabilidade pode ajudar a empresa a crescer?

Uma das principais causas de fechamento de micro e pequenas empresas é a falta de preparo da gestão. A negligência em relação à contabilidade se insere nesse contexto. Fazer apenas o mínimo em relação às obrigações fiscais e legais pode impedir que sua empresa sofra multas e outras penalidades, mas vai deixar de fora uma parte importante do trabalho.

Estamos falando do uso das informações geradas pela contabilidade para o controle gerencial. Um dos melhores exemplos para isso é a DRE. Embora a lei exija que ela seja elaborada anualmente, muitas empresas optam por um acompanhamento mensal, justamente pela riqueza das informações que ela fornece.

A DRE mostra o desempenho da empresa confrontando receitas e despesas. Por isso, é um relatório essencial para acompanhar a execução do planejamento orçamentário. Assim, é possível saber exatamente o que está indo conforme planejado e o que precisa de ajustes, permitindo que o gestor planeje investimentos, despesas e esforços em vendas para cada período.

Por fim, mas não menos importante, a contabilidade também tem uma função importante no planejamento tributário da empresa. Se não devemos deixar de pagar impostos, também não devemos pagar mais do que o necessário. A carga tributária no Brasil já é suficientemente alta para que o empresário abra mão de recursos voluntariamente.

Assim, é o contador que vai apontar qual é o melhor regime tributário para a empresa e quais são as medidas que ela pode tomar para pagar apenas o que é realmente necessário. Esse trabalho é chamado de elisão fiscal, e se refere a uma prática contábil que permite adequar a empresa ao formato mais vantajoso para o pagamento de impostos, sem cometer nenhuma ilegalidade. 

Por isso, não deve ser confundida com a evasão fiscal, que é a sonegação, ou seja, o uso de meios ilícitos para evitar o pagamento de taxas, impostos e contribuições, o que, obviamente, não é uma prática recomendada e pode ter consequências graves.

Agora você já sabe qual é a importância da contabilidade nas empresas. Não deixe de ter um contador profissional, bem qualificado, para cuidar dessa área tão importante. Ele vai garantir não apenas que sua empresa não tenha problemas com a lei, mas também que você conte com informações úteis para o controle financeiro do negócio.

Precisa de um contador? Conheça os serviços da Facilite. Somos um escritório de contabilidade online, com contadores espalhados em várias cidades do país e planos que cabem no seu bolso!

Quer abrir uma empresa ou Trocar de contador? Deixe seu contato, te mostraremos o melhor em tecnologia contábil.

    calcular o icms

    Como calcular o ICMS?

    Uma das preocupações de todo empreendedor é estar dentro da lei e cumprir suas obrigações tributárias. Uma dessas obrigações, é a cobrança de ICMS em