Fator R: veja como é possível a redução tributária através desse novo componente

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Fator R é o nome dado ao cálculo que deve ser feito mensalmente para saber em qual anexo de tributação do Simples Nacional determinada empresa está. A resposta é determinante para saber o percentual da alíquota de impostos que deve ser paga pela organização.

Isso significa que o cálculo é muito importante, já que influencia diretamente a carga tributária do negócio. Neste artigo, vamos explicar melhor o que é fator R e como é viável diminuir, de forma legal, a quantidade de impostos pagos por meio dele. Vamos lá?

Inscreva-se no canal para mais conteúdos sobre Contabilidade e Empreendedorismo!

O que é fator R?

Antes de entender o que é fator R, é preciso compreender como funcionam os anexos do Simples Nacional. O regime tributário oferecido para pequenas e microempresas é dividido em 5 tabela (ou 5 anexos) organizados de acordo com o tipo de atividade, ou seja, a CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas).

É com base nessa divisão, que pode ser vista na Tabela de CNAE disponibilizada pela Facilite, e também no valor do faturamento anual é que são definidas as alíquotas para o pagamento dos impostos.

O fator R é um cálculo que visa definir se uma empresa será enquadrada no anexo III ou V. De forma direta e simples funciona assim: se o da divisão entre o faturamento e folha de pagamento nos últimos 12 meses foi maior ou igual a 28% (0,28) o imposto está inserido no anexo III, se for menor que 28% (0,28) ele pertence ao anexo V.

Saiba como o cálculo é realizado

Para encontrar o fator R, é necessário dividir a soma da folha de pagamento dos últimos 12 meses pela receita bruta do mesmo período. São considerados 12 últimos meses que antecedem o período de apuração. Para não cometer erros, que podem originar uma série de problemas com a Receita Federal, é importante que um contador especializado realize o cálculo.

Por que o fator R existe?

O Simples Nacional passou por mudanças importantes em 2018, quando a Lei Complementar 155/2016 passou a vigorar no país. Entre as principais mudanças, um anexo existente até o momento, o anexo VI, foi extinto e as atividades econômicas pertencentes a ele passaram a fazer parte do anexo V.

Sendo assim, o fator R surgiu como uma metodologia para que as empresas descobrissem em qual tabela se enquadram. Como vimos, para descobrir isso é necessário fazer o cálculo.

Agende um encontro com um dos nossos Contadores Partners para fazer o seu cálculo!

Quais serviços podem ser enquadrados no fator R?

Nem todas as atividades empresariais estão sujeitas ao fator R e precisam realizar o cálculo mensalmente para saber a alíquota que será utilizada para o pagamento dos tributos. Confira, a seguir, a lista de atividades que são enquadradas.

  • Administração, locação e cobrança de aluguéis de imóveis de terceiros;
  • Academias de dança, de capoeira, de ioga e de artes marciais;
  • Academias de atividades físicas, desportivas, de natação e escolas de esportes;
  • Elaboração de programas de computador e jogos eletrônicos, desde que desenvolvidos na própria empresa;
  • Empresas que licenciam ou transferem o direito de uso de programas de computação elaborados;
  • Planejamento, confecção, manutenção e atualização de páginas web, desde que desenvolvidos na própria empresa;
  • Empresas montadoras de estandes para feiras;
  • Laboratórios de análises e patologia clínica;
  • Serviços de tomografia;
  • Diagnósticos médicos por imagem, registros gráficos e métodos óticos, e ressonância magnética;
  • Serviços de prótese em geral;
  • Fisioterapia;
  • Medicina, medicina laboratorial, enfermagem;
  • Odontologia e prótese dentária;
  • Psicologia e psicanálise;
  • Terapia ocupacional, acupuntura, podologia, fonoaudiologia;
  • Clínicas de nutrição, vacinação e bancos de leite;
  • Arquitetura e urbanismo;
  • Serviços de comissária, de despachantes, de tradução e de interpretação;
  • Engenharia, medição, cartografia, topografia, geologia, geodesia, testes, suporte e análises técnicas e tecnológicas, pesquisa, agronomia;
  • Medicina Veterinária;
  • Design, desenho e desenho técnico;
  • Representação comercial e atividades de intermediação de serviços de terceiros
  • Perícia e avaliação;
  • Auditoria, economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração;
  • Jornalismo e publicidade;
  • Agenciamento;
  • Outros serviços intelectuais.

Como é possível pagar menos impostos com o cálculo?

Agora que você já sabe o que é o fator R, chegou o momento de compreender como é possível reduzir a carga tributária por meio dele. Com base no fator R encontrado, a empresa será classificada como anexo III, onde a menor alíquota é a de 6%, ou como anexo V, onde a menor alíquota é 15,50%. Uma diferença considerável, não é mesmo?

Existem algumas medidas que podem ser úteis para empresas que estão no anexo V e desejam ir para o III. Veja as principais:

Aumente a retirada do pró-labore

Uma técnica muito utilizada é aumentar a retirada do pró-labore para que o valor do cálculo mude e chegue aos 28% necessários para que o negócio pertença ao anexo III. No entanto, é preciso considerar o aumento no IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte) e INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) do sócio.

Contrate uma empresa especializada

Uma empresa de contabilidade especializada nesse assunto vai conseguir analisar o negócio e encontrar a melhor estratégia para fazê-lo ser enquadrado no anexo III, pagando a menor quantidade de impostos possíveis. Por isso, analise as vantagens de contratar uma Contabilidade Touchtech — solução que combina a praticidade do online com atendimento presencial e personalizado.

Como vimos, o fator R pode ser uma oportunidade interessante para empresas conseguirem reduzir a carga tributária. No entanto, para isso, é fundamental fazer o cálculo corretamente e, se necessário, criar estratégias para ser enquadrada no anexo III do Simples Nacional.

Precisa de ajuda de especialistas para fazer o cálculo do fator R do seu negócio? Acesse o link e faça o agendamento com um dos contadores da Facilite.

Quer abrir uma empresa ou Trocar de contador? Deixe seu contato, te mostraremos o melhor em tecnologia contábil.

    tipos de notas fiscais

    Tipos de notas fiscais do Brasil

    Toda empresa,que preste serviços ou realize venda de mercadorias, deve emitir nota fiscal desses serviços ou produtos vendidos. E para emitir essa comprovação, existem vários