Leilão de Imóveis:  Entenda como funciona?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Leilão de Imóveis:  Entenda como funciona?

O Interesse em Leilão de Imóveis tem crescido bastante. No entanto ainda existem muitas dúvidas sobre o tema. Portanto, nesse artigo vamos esclarecer os principais pontos para que você possa entrar nesse mercado com mais segurança.

O Que é um Leilão De Imóveis?

Antes de tudo, um leilão é um evento conduzido por um profissional especializado e devidamente habilitado. Nesse caso, o leiloeiro.  Do mesmo modo acontece com os leilões de imóveis.

Trata-se de ato comercial, onde bens imóveis serão negociados. Tal negociação acontece em local e data pré-determinados, para que imóveis sejam colocados à venda, através da oferta de lances.  Compra o imóvel o candidato que fizer a melhor oferta.

 

Por que acontece um  Leilão de Imóveis?

Em geral  os leilões de imóveis ocorrem  por  uma questão de endividamento por parte do proprietário. Com isso, para que tal dívida seja paga, coloca-se o imóvel  à venda . A origem desta dívida definirá o tipo do leilão. Consequentemente, também se definirá o formato e características do evento.

Leilões acontecem presencial ou online?

Como já dissemos, eles acontecem em data, hora e local pré-definidos. No entanto, esse local pode ser físico ou virtual. Ou seja, eles podem acontecer presencialmente ou online. E ainda existe a opção híbrida, onde os dois formatos acontecem simultaneamente.

Com a pandemia, os formatos virtuais se consolidaram. Certamente a grande vantagem disso é a possibilidade de participar de leilões em outros Estados ou cidades.

Quais os tipos de Leilão de Imóveis?

Existem dois tipos de leilão: judiciais e extrajudiciais.

Leilão Judicial – Os leilões judiciais são aplicados  quando o bem é apreendido ou penhorado por meio de um processo judicial, ou seja, são determinados por um juiz. Nesse caso, o valor da venda é utilizado para quitar as dívidas do proprietário.

Leilão Extrajudicial – os leilões extrajudiciais acontecem  por motivos diversos. Geralmente são realizados por instituições, bancos e até mesmo pessoas físicas. Além disso, em um leilão extrajudicial são penhorados os bens utilizados como garantia de uma dívida que não foi honrada.

O que é preciso para entrar no mercado de leilões?

Em primeiro lugar, basta ser maior de idade, ou seja, ter completado 18 anos para está apto a participar de um leilão.  Em segundo lugar, é preciso se cadastrar  junto ao leiloeiro responsável.

Esse cadastramento é feito online, com apresentação dos documentos exigidos em edital. Depois disso é só aguardar a finalização. Após o cadastro terminado, solicite a habilitação para o leilão que quer participar. Trata-se de um processo bem ágil. Uma vez o cadastro concluído, basta acompanhar o leilão e dar os lances desejados.

Estude o mercado de leilões de imóveis

Os leilões de imóveis agregam bastante ao mercado imobiliário. Sendo assim, é  fundamental conhecer bem  o mercado para tomar as decisões certas. Por exemplo, quanto investir, tempo de retorno do investimento dentre outros aspectos importantes.

Pra começar escolha se vai atuar em leilões judiciais ou extrajudiciais. Afinal, cada tipo de leilão tem suas características próprias, seja na forma de investir ou  formas de pagamento, riscos assumidos, enfim, muito  a se pensar.

Empreendimento ou Investimento?

Entenda o mercado de leilões de imóveis sob esses dois aspectos, pois existe um pouco de cada.  Certamente trata-se de um investimento. Afinal, quando se decide entrar nesse mercado, o lucro é a principal meta.

No entanto, ele se torna também um empreendimento quando exige um conhecimento prévio, tempo de dedicação, tanto no momento de escolher os imóveis, dar lances, arrematar e , por fim, transforma-los em dinheiro novamente.

O tempo de retorno do capital investido e do lucro é um aspecto importante. E esse aspecto se encaixa tanto no segmento dos investimentos quanto dos empreendimentos. Vale dizer que a média de retorno do investimento oscila entre 1 ano  a  1 ano e meio. Isso considerando do início ao fim do processo, ou seja, desde o arremate até a venda do imóvel.

Diferenças básicas entre os tipos de leilões

Leilão Judicial:

  • Conforme o Novo Código de Processo Civil (2016), é possível parcelar os imóveis em até 30 vezes, desde que com pagamento de 25% à vista e o restante em parcelas iguais corrigidas monetariamente.
  • Os leilões judiciais possibilitam o pagamento à vista ou, então, um parcelamento por meio de depósito em juízo.
  • A avaliação nos leilões judiciais é feita por engenheiros determinados pelos juízes ou até mesmo pelo oficial de justiça
  • Usa-se o valor arrecadado  para quitar as dívidas do credor.
  • Em conclusão, é  preciso constar no edital quem assumirá as dividas do imóvel.

 

Leilão Extrajudicial:

  • O leilão extrajudicial é uma venda que não envolve processo na Justiça, podendo ser conhecido, também, como leilão empresarial.
  • A Caixa é o principal banco nos leilões extrajudiciais. Além dela, os que mais movimentam são o Banco do Brasil, Banco Inter, Santander, entre outros;
  • Os engenheiros das próprias instituições responsáveis pelos ;
  • Nesse tipo de leilão as instituições responsáveis assumem as dívidas dos imóveis

 Dicas importantes para quem quer entrar no mercado de leilões:

  1. Se puder, visite o imóvel antes ou pesquise sobre ele;
  2. Prefira imóveis desocupados;
  3. Saiba qual o tipo de execução;
  4. Leia bem o edital;
  5. Verifique o valor da avaliação x valor de mercado para revenda;
  6. Cheque a forma de pagamento;
  7. Registre o imóvel depois de arrematado.

 

Quer saber mais? Fica de olho em nosso blog e canal do YouTube.  A Facilite tem uma equipe para lhe atender.

Deixa seu cometário !

.

 

 

Quer abrir uma empresa ou Trocar de contador? Deixe seu contato, te mostraremos o melhor em tecnologia contábil.

    tipos de notas fiscais

    Tipos de notas fiscais do Brasil

    Toda empresa,que preste serviços ou realize venda de mercadorias, deve emitir nota fiscal desses serviços ou produtos vendidos. E para emitir essa comprovação, existem vários