O que é e como fazer um MVP? 

Você já ouviu falar em MVP, Produto Mínimo Viável? O MVP é a sigla para Minimum Viable Product, e sua tradução  significa Produto Mínimo Viável.Nesse artigo vamos falar os principais pontos necessários para que você possa entender mais sobre o tema.

O que é MVP (Produto Mínimo Viável)?

Trata-se de um conceito aplicado no meio empresarial para validar a ideia de um produto ou serviço por meio de um protótipo desenvolvido com o mínimo de investimento, o MVP.  Com isso, passa por uma avaliação ou teste, com um grupo de prováveis clientes, com o objetivo de atender sua necessidade ou resolver seu problema.

Em outras palavras, é a busca da validação do potencial de uma ideia antes de investir muito dinheiro nela, através da construção  de uma versão mais simples e enxuta de um produto , ou parte dele, empregando o mínimo de recursos , no caso o tempo e o dinheiro,  possíveis para entregar a principal proposta de valor da ideia.

Assim, o MVP é uma fonte muito rica de feedback para o aperfeiçoamento do produto.

O método Lean Startup e o MVP

Existe uma tendência de fazermos a ligação entre o MVP e a Startup,  e isso acontece porque o método se aplica bem a esse tipo de negócio. Podemos perceber isso através da obra de Eric Ries, o livro “A Startup Enxuta”. Nessa obra o autor destaca que toda empesa precisa identificar e acabar com os gargalos do desperdício tanto de tempo quanto de dinheiro.

“A startup enxuta fornece uma abordagem científica para criar e gerenciar startups e colocar o produto desejado nas mãos dos clientes com mais rapidez. O método Lean Startup ensina como conduzir uma startup – como dirigir, quando virar e quando perseverar – e fazer crescer um negócio com aceleração máxima. É uma abordagem baseada em princípios para o desenvolvimento de novos produtos.

Muitas startups começam com uma ideia para um produto que acham que as pessoas desejam. Eles então passam meses, às vezes anos, aperfeiçoando aquele produto sem nunca mostrá-lo, mesmo de uma forma muito rudimentar, ao cliente em potencial. Quando eles não conseguem alcançar uma ampla aceitação dos clientes, geralmente é porque nunca falaram com os clientes em potencial e determinaram se o produto era ou não interessante. Quando os clientes finalmente comunicam, por meio de sua indiferença, que não se importam com a ideia, a startup fracassa.” (http://theleanstartup.com/principles)

O ciclo de realimentação representa o coração da metodologia da startup enxuta , de Eric Ries.  Esse ciclo se constitui no “construir –medir – aprender”, onde o primeiro passo é encontrar o problema a ser resolvido e, depois disso, desenvolver o MVP e só então entrar no processo de aprendizagem.

Como fazer um MVP

1.      Descobrir qual a necessidade do cliente

A primeira etapa é mapear a necessidade do seu cliente, seu público alvo, analisando o mercado e estudando hábitos dos consumidores. Depois disso, organizar os dados para conseguir identificar as prioridades para desenvolvimento do produto ou serviço. Existem ferramentas que podem auxiliar na organização dos dados levantados. Basicamente podemos citar duas: Diagrama de Pareto e  Matriz Esforço X Impacto

2.  Desenvolver um protótipo

Para o desenvolvimento de um protótipo, parta das seguintes perguntas:

  • A proposta de valor atende ao cliente?
  • É possível ter lucro?
  • Qual é o custo para entregar a proposta de valor?
  • Quais os canais de distribuição para o cliente?

A partir daí, pode-se construir o MVP.

3.      Captar os primeiros clientes

Crie canais que possam atrair o público para seu Produto Mínimo Viável. Uma forma interessante é buscar profissionais do marketing digital e, através de uma landing page, por exemplo, interagir com esse público.

Lembre que o “consumidor” do MVP, em geral, são pessoas que têm maior necessidade da solução que seu produto oferece, a ponto de se entusiasmar por inovações.

Sem contar que esse público também é uma fonte de divulgação de sua marca, seja de forma positiva ou não.

Faça uma avaliação das informações conseguidas, some ao mapeamento anterior e siga para o desenvolvimento do seu MVP.

4.      Mantenha a mente aberta às críticas e sugestões

É normal e até esperado que seu produto ou serviço receba críticas e sugestões. Esse feedback deve ser usado para o aperfeiçoamento do produto. Aliás, esse é exatamente o objetivo do MVP, ou seja, encontrar os pontos fracos, buscar melhorias e atender as necessidades do mercado.

5.      Mensurar o desempenho do MVP

Pronto, MVP construído? Não pare por ai.  Busque uma forma de mensurar o desempenho do seu MVP.  E como fazer isso? Comece com alguns questionamentos:

  • Ele resolve a necessidade do usuário para o problema abordado?
  • Ele mostra o que falta para resolver o problema do usuário?
  • Ele revela uma nova função de uso, mais vantajosa  que o inicial?
  • Ele mostra se seu produto/serviço é irrelevante para o usuário e o por quê?

Defina bem o que espera do seu MVP para que entenda se o objetivo foi ou não atendido.

Exemplos de MVP

Para ilustrar bem como funciona o MVP, vejam esses dois exemplos, bem conhecidos de todos:

Facebook

Nasceu dentro da Universidade de Harvard, onde foi testado apenas com os universitários num primeiro instante. A partir daí, como o Feedback, as alterações foram feitas e a rede cresceu até o que é hoje.

Iphone

Quando a Apple lançou o primeiro Iphone o aparelho não era nada do que é hoje, pois ele não tinha nem funções básicas de copiar e colar e ainda dependia, obrigatoriamente, que o usuário tivesse o Itunes instalado. O objetivo era a validação, através do feedback dos clientes, onde as necessidades apontadas poderiam ser atendidas em versões futuras.

E então, após ler nosso artigo ficou mais claro o que é e como fazer um MVP? Caso tenha ficado alguma dúvida, deixe seu comentário.

 

 

 

Comentários