DRE: como fazer e modelos da demonstração

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Os relatórios gerenciais são essenciais para o desenvolvimento de um negócio. A DRE é uma delas, e aqui vamos conhecer um pouco mais sobre essa demonstração.

O que é DRE?

A DRE na contabilidade é uma ferramenta de auxílio na elaboração do Balanço Patrimonial

A Demonstração do Resultado do Exercício, ou DRE, fornece informações sobre a composição dos resultados do exercício.

Ou seja, é um relatório contábil que deixa bem claro e evidente todas as operações feitas por uma empresa. 

Com isso, mostra se foi gerado lucro ou prejuízo dentro de um determinado tempo.

Diferente da planilha de fluxo de caixa, a DRE permite uma avaliação a longo prazo da situação financeira da empresa.

O resumo do seu resultado, que inclui atividades operacionais e não, pode ser organizado gerencial ou fiscalmente.

Isso inclui a apresentação de taxas e impostos recolhidos no ano, como também projeções com o crescimento da empresa, entre outros. 

 

Para que serve?

Uma das principais utilizações do relatório, é uma visão mais ampla sobre como está o andamento do negócio.

Além também de ser uma base para o planejamento estratégico e financeiro da empresa, e é um dos relatórios contábeis de maior importância.

Com ele, é possível verificar a rentabilidade e faturamento do empreendimento, comparando as declarações realizadas por determinado período.

A análise mostra se as receitas e despesas estão equilibradas, analisar resultados de produtos ou serviços e informações específicas sobre as entradas e saídas de dinheiro.

Assim a DRE pode auxiliar na avaliação sobre o gerenciamento do negócio, captar investimento, corrigir erros operacionais, entre outros.

 

A DRE é obrigatória?

A declaração é obrigatória para todas as empresas, exceto MEI e deve ser feita anualmente, assim que encerra o período entre janeiro e dezembro.

Porém, isso não impede que os empreendedores a utilizem com maior periodicidade para avaliar o andamento do negócio.

Conforme a Lei n° 11638, de 27 de dezembro de 2007, a DRE deve ser assinada por um contador habilitado pelo Conselho Regional de Contabilidade – CRC do seu Estado.

 

Qual é a estrutura de uma DRE?

Sabendo agora o que é uma DRE e qual a sua utilidade, é importante entender quais são as informações que a compõem.

Então, de forma básica a estrutura da DRE deve ter os seguintes dados:

  • Receita Bruta: entrada de dinheiro do caixa, ou patrimônio;
  • (-) Deduções e Abatimentos: descontos e abatimentos de impostos cobrados diretamente sobre vendas;
  • (=) Receita Líquida: resultado da receita de vendas, subtraída das deduções;
  • (-) CPV (Custo de Produtos Vendidos) ou CMV (Custos de Mercadorias Vendidas): gastos referentes à produção dos produtos ou serviços;
  • (=) Lucro Bruto: diferença entre receita líquida e o gasto na fabricação;
  • (-) Despesas com Vendas: gastos com comissão ou atendimento pós venda;
  • (-) Despesas Administrativas: custos para o negócio continuar funcionando, mesmo que não haja vendas;
  • (-) Despesas Financeiras: gasto com variações de câmbio, juros e multas;
  • (=) Resultado Antes IRPJ CSLL: resultado da conta até o momento, sem levar em conta os impostos;
  • (-) Provisões IRPJ E CSLL: tributos que incidem sobre o faturamento;
  • (=) Resultado Líquido: resultado com a dedução dos impostos e taxas pagas do lucro bruto.

 

Como fazer a DRE?

Como a declaração tem muitas informações gerenciais, quanto maior a quantidade de dados para avaliar, mais detalhada e acurada será essa análise.

Devem ser inseridos os dados em uma planilha excel para fazer o cálculo automático das receitas e despesas.

Passos

Primeiramente, deve ser inserida a informação sobre valor das receitas com a venda de produtos ou prestação de serviços.

O segundo passo é incluir valores de devoluções de venda,descontos ou impostos. Em seguida, preencha o custo da mercadoria, ou CMV, citado no tópico anterior.

Depois, é necessário colocar todas as despesas administrativas, para funcionamento do negócio, sejam fixas ou variáveis.

O próximo passo é incluir as despesas financeiras, com cartões de crédito, boleto, bancos, e até com juros e multa.

Com todas essas informações, o campo de lucro operacional vai ser preenchido automaticamente, com as fórmulas inseridas na planilha. Porém, esse valor não vai considerar ainda os impostos.

Portanto, deve-se preencher os impostos: Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) de acordo com o regime tributário da sua empresa.

Por último, no fim da planilha e após a inserção de todos esses dados, é possível conferir e comparar as receitas e despesas. E também verificar a margem de lucro e o lucro líquido do período.

 

Modelos de DRE

Existem modelos já prontos, que é possível fazer o download, e vamos mostrar dois exemplos que você pode utilizar.

Modelo 1

Modelo DRE 1

 

Modelo 2 

Modelo DRE 2

 

A demonstração é repleta de informações muito necessárias para o controle financeiro do negócio, portanto, deve ser realizada de forma estratégica e preenchida de forma detalhada.

Ficou com dúvidas ou precisa de assessoria contábil? Fale com um de nossos especialistas!

 

Quer abrir uma empresa ou Trocar de contador? Deixe seu contato, te mostraremos o melhor em tecnologia contábil.

    tipos de notas fiscais

    Tipos de notas fiscais do Brasil

    Toda empresa,que preste serviços ou realize venda de mercadorias, deve emitir nota fiscal desses serviços ou produtos vendidos. E para emitir essa comprovação, existem vários