Trabalho no exterior: como funciona e como encontrar vagas?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Com a integração dos países e a tecnologia cada dia mais difundida, quem tem interesse em ter um trabalho no exterior, e a chance de ser remunerado em moedas estrangeiras, agora tem várias opções e pode contar com muitas vantagens.

Esses modelos de trabalho geralmente são de forma remota, e incluem diversos benefícios para o profissional, além de ser um mercado com crescimento exponencial.

 

O que é e como funciona o trabalho no exterior?

O trabalho no exterior é um regime de trabalho, para empresas de fora do país, ou que ofereçam serviços em unidades do exterior. 

Em grande parte, os trabalhos são realizados remotamente e os contratos de trabalho podem ser temporários, para projetos específicos ou como freelancer.

Porém, isso vai depender do acordo realizado entre o funcionário e a empresa contratante.

Algumas regras são estabelecidas para esses serviços, tais como, gerar invoice, pagamento de impostos, pagamento com moedas estrangeiras, entre outras.

 

Quais as vantagens do trabalho remoto para o exterior?

Com essa modalidade de trabalho, é possível economizar com transporte e deslocamento para as empresas.

Em grande parte das empresas, é possível ter um horário de trabalho mais flexível, desde que haja organização das atividades e demandas.

Porém como as empresas estão em outro país, é bom observar o fuso horário e ficar atento às reuniões necessárias.

Outra vantagem é o recebimento em moeda mais valorizada que o Real, como o Dólar, a Libra, o Euro, e outras.

Como é necessário realizar o câmbio das moedas e pagar algumas taxas, existem plataformas digitais que facilitam esse processo e tem baixo custo e confiabilidade.

 

Modelos de trabalho no exterior 

 

Trabalhar em empresas do Brasil com projetos no exterior

Nessa modalidade, o profissional atua de forma remota para clientes fora do país, com vagas ofertadas por empresas brasileiras.

As vantagens desse modelo incluem possibilidade de alocação temporária no exterior, experiência com projetos internacionais.

Os riscos ficam por conta da empresa, além de toda burocracia que tiver. Como a responsabilidade do sucesso do projeto é da empresa, tudo que puder afetar o desempenho fica por sua conta.

Para esses projetos no exterior, existe a necessidade de um bom planejamento, principalmente se for necessário alocação em outros países,seja remota ou presencial.

E também é preciso ter uma boa comunicação com a equipe, principalmente nos alinhamento de demandas, e compreensão das necessidades dos clientes.

Para que essa comunicação seja eficiente, é preciso realizar reuniões de forma constante, e feedbacks sejam difundidos pela equipe.

 

Trabalhar de forma autônoma de modo remoto

Nessa modalidade, empresas do exterior contratam profissionais qualificados e de nível global, para seus projetos.

Geralmente selecionam profissionais experts em determinada área, para trabalhos com período determinado.

Uma das vantagens é justamente a autonomia com relação ao trabalho desenvolvido, desde que respeitando os acordos de datas de entrega e produção. Para isso, é necessário que o funcionário seja muito bem disciplinado.

Como não há a necessidade de mudança física para o país que está prestando serviço, as mudanças na rotina não serão tão drásticas, e o profissional ainda adquire experiência internacional.

Já um ponto negativo, pode ser a dificuldade de interação e integração com a equipe.Por estar distante fisicamente, e muitas vezes as empresas têm uma cultura de trabalho que o funcionário não está acostumado.

Isso implica também no isolamento, e estar fora do ambiente da empresa pode afetar o relacionamento dentro da equipe e até mesmo com a empresa.

Se for um profissional que busca estabilidade e plano de carreira, essa não é uma opção adequada, visto que os projetos normalmente são por um determinado período.

 

Trabalhar em multinacional com unidade no Brasil, mas em serviços para outros países 

Atualmente existe uma grande variedade de empresas internacionais, com unidades de atendimento no Brasil, em parte por nosso país oferecer bons profissionais, principalmente na área de tecnologia.

E também, pela localização geográfica e valores de serviço, que são atrativos tanto para os EUA, quanto para a Europa.

Nesse modelo de trabalho, por se tratar de multinacional, os valores e cultura já são alinhados e difundidos e a adaptação do funcionário tende a ser mais fácil.

Por já estar inserido no ambiente da empresa, a comunicação e a busca por informações sobre o trabalho é mais acessível. 

E, se o serviço na unidade estrangeira não estiver fluindo, ainda existe a opção de prestar serviço para a unidade do Brasil.

Um dos pontos negativos dessa modalidade, pode ser o não cumprimento de alocação internacional, e problemas com a transferência do funcionário.

Outro fator a ser considerado, é como será realizada a remuneração desse profissional, qual a moeda, a mudança no câmbio vai afetar os valores? Tudo isso deve ser discutido antes de aceitar esse modelo.

Uma das adaptações a serem feitas, é a jornada de trabalho, e qual fuso horário, horas extras e etc.

 

Como posso encontrar vagas para trabalhar no exterior?

É possível acessar sites que disponibilizam esse tipo de vaga, tais como:

 

 

O que é necessário para trabalhar no exterior de forma remota?

Como já dissemos, existem burocracias para esse tipo de trabalho e o recebimento dos pagamentos, sendo elas:

Ser MEI ou ter conta PJ – o principal para essa modalidade de contrato, é abrir um MEI, ou ter CNPJ. Apesar de algumas empresas contratarem Pessoa Física, o mais comum é contratar alguém com empresa formalizada.

Para esse procedimento, é importante contar com uma contabilidade de confiança e que auxilie nesse processo de abertura de empresa.

Gerar Invoice –  a Invoice é o documento utilizado na comprovação de venda de produtos, ou prestação de serviços entre países diferentes.

Para se produzir o Invoice são necessárias informações como o valor (de acordo com o país de origem), descrição das atividades, forma de pagamento, dados bancários, data e informações sobre o profissional.

Conversão da moeda – para o recebimento do pagamento, é necessário realizar uma operação de câmbio. Ou seja, precisa converter a moeda do país que contratou as atividades, para a moeda nacional.

Para essa operação, é preciso se atentar às taxas e margem de lucro cobradas pelas empresas de câmbio, e escolher uma plataforma, como por exemplo a Remessa Online, que é uma das mais utilizadas para esse tipo de operação.

Emitir Nota Fiscal no Brasil – além da Invoice, é necessário também emitir uma Nota Fiscal no Brasil, para que sejam cobradas as tributações corretas.

O ideal para emitir uma nota fiscal de forma correta, é buscar ajuda de um contador, e assim, verificar as regras e tributos corretos de acordo com a legislação da sua localidade.

Pagamento de impostos – os principais impostos a se pagar nesses modelos de trabalho, são o Imposto sobre Operações Financeiras- IOF e o Imposto de Renda – IR.

As alíquotas vão depender do Regime Tributário da sua empresa, e é importante citar que trabalhadores freelancer geralmente estão enquadrados nas regras do Simples Nacional.

 

Como esses modelos de trabalho são mais recentes, é importante contar com a ajuda de profissionais para ajudar nos processos de recebimento de pagamento, e a Facilite pode te ajudar nesse momento.

Para dúvidas e informações sobre abertura empresa ou MEI, consulte um de nossos especialistas!

 

Quer abrir uma empresa ou Trocar de contador? Deixe seu contato, te mostraremos o melhor em tecnologia contábil.