CMV – Custo de mercadoria vendida, como calcular?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Para o empreendedor do ramo de atividade de comércio, o custo de mercadoria vendida, ou CMV, é um fator importante para uma precificação correta, e maior chance de ter lucro.

 

O que é CMV?

O Custo de mercadoria vendida ou CMV, é um dos indicadores financeiros utilizados para calcular gastos de determinado produto, até ele ser vendido ao cliente.

Para empresas da indústria, esse cálculo se refere aos gastos de produção, e para o comércio, diz respeito ao custo de armazenamento ou estoque dessa mercadoria.

O CMV considera custo de estoque, além do gasto com as mercadorias, para se chegar ao lucro bruto do negócio.

Simplificando, o CMV é o valor de custo do produto.

 

Para que serve o CMV?

A função do CMV, é verificar todos os custos relativos ao produto, para a empresa encontrar o seu lucro bruto.

Ou seja, com o cálculo é possível encontrar o valor recebido pela venda do produto, descontando todos os custos de compra, produção e armazenamento.

Esse indicador é adequado para negócios que não tenham muita variação de custos, como comércios e pequenas indústrias.

E com ele, é possível descobrir o valor investido para venda de determinado produto, e o lucro das vendas.

São vários os fatores envolvidos nesse cálculo, e o valor gasto pela empresa na reposição de estoque, pode variar conforme os preços estabelecidos pelos fornecedores.

E essas variações, vão influenciar diretamente no preço aplicado ao consumidor final.

O CMV também é utilizado na verificação da margem de contribuição dos produtos, ou seja, a fração das vendas que auxiliam o pagamento dos demais custos para o funcionamento do negócio.


Inscreva-se no canal para mais conteúdos sobre Contabilidade e Empreendedorismo!

 

O que compõe o custo do produto vendido?

A composição do indicador, além de consider o valor pago a fornecedores, custos de produção, também inclui gastos com estoque, sendo assum um diferencial seu.

Apesar de produtos em estoque aumentarem o ativo das empresas, eles também representam custos, e o CMV insere esses valores no cálculo de lucro bruto, o que torna o resultado mais apurado.

Somente após os descontos de impostos, despesas, demais receitas com relação ao lucro bruto, é que se chega ao lucro líquido do negócio.

O indicador ainda considera valores de produto unitário, percentual de faturamento, e até um valor geral a ser analisado mensalmente, ou por outro período selecionado.

 

Como ele é calculado?

Dentro do cálculo do CMV, alguns fatores são levados em consideração, como o Valor do Estoque Inicial (EI), as compras ( C ) e o valor do estoque final (EF).

Os valores das mercadorias compradas podem variar, de acordo com o mercado, e suas influências externas.

O mesmo produto, vindo do mesmo fornecedor pode ter variação de preço, por exemplo, dependendo da quantidade que se compra, pois quanto maior a quantidade, provavelmente menor será o custo.

Algumas formas podem ser utilizadas, como:

Custo Médio: calculado pela média dos custos de aquisição das mercadorias;

Último que entra, primeiro que sai – UEPS: leva em consideração o valor mais recente pago pela mercadoria;

Primeiro que entra, primeiro que sai – PEPS: no cálculo é considerado o valor das mercadorias compradas primeiro.

Após escolher qual método vai ser avaliado seu estoque, é multiplicada a quantidade de produtos, pelo seu custo, e ter o resultado em dinheiro, sobre o custo das mercadorias adquiridas.

Outros fatores podem ser integrados ao cálculo de CMV, como devoluções por parte do cliente, ou mesmo devoluções de compras feitas ao fornecedor.

Fórmulas de cálculo

Na fórmula geral, é feita a soma do estoque inicial, com as compras do período desejado, e subtraído o estoque final, veja a fórmula:

CMV = EI + C – EF

Se for necessário, pode-se somar também as devoluções de venda (DV), e diminuir as devoluções de compras (DC), como vemos na fórmula abaixo:

CMV = EI + C + DV – DC – EF

 

O que é o CMV na DRE?

A DRE na contabilidade é uma ferramenta de auxílio na elaboração do Balanço Patrimonial, e fornece informações sobre a composição dos resultados do exercício.

Ou seja, é um relatório contábil que deixa bem claro e evidente todas as operações feitas por uma empresa. 

O CMV, juntamente com outros indicadores como CPV, despesas financeiras, administrativas, deduções, abatimentos, despesas com vendas, entre outros, fazem parte da DRE.

Com a avaliação de todos esses indicadores, o relatório mostra se foi gerado lucro ou prejuízo dentro de um determinado tempo.

 

Ficou com dúvidas, ou precisa de assessoria contábil para sua empresa? Fale com um de nossos especialistas!

Quer abrir uma empresa ou Trocar de contador? Deixe seu contato, te mostraremos o melhor em tecnologia contábil.